Negócio de sucesso

Empresários investem em capacitação e se consolidam no mercado

Há 18 anos no mercado paulista, a empresa Petink Serigrafia já tem sua política de qualidade reconhecida por todo o País

Grande parte das pessoas que trabalham em empresas públicas ou privadas sonha em um dia sair da condição de funcionário para se tornar patrão em seu próprio negócio. Os motivos são os mais variados: por ter identificado uma oportunidade de negócio, para melhorar de vida, por ter experiência anterior, capital e tempo ou até mesmo por influência de outras pessoas.

Assim aconteceu com os irmãos Lourival Mariano Filho e Arnaldo Mariano. Ambos eram funcionários em empresas de segmentos diferentes - um trabalhava em uma loja de informática e o outro no serviço de transporte municipal de São Paulo. Embora os irmãos trabalhassem em atividades distintas, eles tinham uma ambição comum: deixar de ser funcionários. Mas como isso seria possível?

A resposta veio a partir do convite de um vizinho que propôs uma sociedade aos irmãos em uma empresa de serigrafia. Na época, os irmãos enxergaram uma boa oportunidade de negócio. Arnaldo e Lourival entraram com o capital e o outro sócio entrou com o conhecimento que já tinha em serigrafia.

No início, as atividades da empresa eram realizadas na garagem da casa dos irmãos. Devido ao espaço limitado e o pouco maquinário, a pequena empresa só tinha condições de produzir camisetas personalizadas e pequenos adesivos. A produção era feita nos fins de semana e as primeiras vendas eram de camisetas para amigos de faculdade e para as empresas onde os sócios trabalhavam ainda como funcionários.

Mudanças

O ano de 1989, segundo o empresário Arnaldo, foi o 'divisor de águas'. Nesse ano, a sociedade passou a ser formada apenas pelos dois irmãos, que continuaram tocando o negócio. Assim, surgiu a Petink Serigrafia. Junto com a nova empresa, os irmãos entenderam que capacitar, planejar e inovar eram as chaves do sucesso.

A garagem de casa passou a ficar pequena para tantas idéias. "Resolvemos arriscar. Tomar decisões agressivas. Mudamos da garagem de casa para um galpão e ainda realizamos a contratação de 30 funcionários de uma única vez", explica Arnaldo. Dessa forma a empresa passou a produzir 19 vezes mais do que sua capacidade inicial.

O empresário também lembra que, antes de realizar essas mudanças, ele e seu irmão buscaram se capacitar e estudar melhor o mercado em que atuavam. "Procuramos apoio no Sebrae. O primeiro curso que fizemos e que consideramos decisivo foi o Empretec. A partir deste curso, por exemplo, passamos a trabalhar com impressões de grandes formatos (1,20x3). Um nicho do segmento que até então não conhecíamos", afirma.

O empresário defende que planejar é um hábito saudável para o empreendedor. "O planejamento ajuda a viabilizar os sonhos. Podemos fazer cálculos, pensar em estratégias, definir o que pretendemos e quais caminhos a empresa deve seguir".

Arnaldo conta que dois fatores influenciaram para que ele e seu irmão passassem a trabalhar com grandes impressões. "No mercado de grandes impressões, a competição é mais justa. Nós tínhamos gastos com uma equipe de 30 funcionários fichados, além de outros custos, como aluguel; era muito para produzir apenas pequenas impressões. A nossa concorrência era formada por empresas de fundo de quintal e empresas informais que não tinham esses mesmos custos. A concorrência era desleal. Outro aspecto importante foi com relação à nossa participação no Empretec. Após o curso adquirimos conhecimento para fazer o nosso plano de negócio, o que nos ajudou a conseguir crédito para comprar novo maquinário", lembra.

Além do Empretec, os empresários levaram para a empresa outros cursos do Sebrae como o Programa Sebrae de Qualidade Total, curso de Formação de Preços, Atendimento, Venda e Liderança. Toda a equipe recebeu cursos profissionalizantes dentro e fora da empresa. "De um lado as pessoas reclamam que não têm emprego, de outro os empresários dizem que não há mão-de-obra qualificada. Então, por que não o empresário capacitar seus próprios funcionários? Em nossa empresa criamos prêmios para valorizar nossa equipe, e buscamos a participação deles nas tomadas de decisões", diz Arnaldo.

O tema inovação também é uma preocupação constante na empresa. Segundo o empresário, que hoje é desenhista industrial, ela torna possível a flexibilização do negócio. "Por exemplo, se após 20 anos não existir mais mercado para empresas de serigrafia, como é o caso da Petink, quero já ter pensado em algo novo para não deixar de existir. O empreendedor não pode depender totalmente das forças do mercado, mas, sim, deve fazer de tudo para poder moldar-se a elas, e por outro lado, ser capaz de transformá-las de acordo com seu interesse", afirma.

Hoje, há 18 anos no mercado, a empresa Petink, especializada em impressões de grandes formatos, com sua política de qualidade definida, coleciona prêmios e espaços na mídia. A empresa já foi personagem de matérias do Programa Pequenas Empresas & Grandes Negócios, da TV Globo, e da Revista Meu Próprio Negócio.

Serviço:
Agência Sebrae de Notícias - (61) 3348-7257 e 21079359
Petink Serigrafia - (11) 6525- 0366 e www.petink.com.br
A Agência Sebrae de Notícias está de recesso no período de 26/12/2007 a 06/01/2008.